No Dia do Atleta Olímpico o GNU homenageia os atletas que estiveram em Tóquio 2020

23 de junho de 2022

No Dia do Atleta Olímpico o GNU homenageia os atletas que estiveram em Tóquio 2020

No dia 23 de junho se comemora o Dia do Atleta Olímpico. A data foi escolhida em homenagem à criação do Comitê Olímpico Internacional, ocorrida neste dia em 1894. A história do Grêmio Náutico União se entrelaça com a história dos Jogos Olímpicos pela primeira vez em 1960, quand Paulino Gonçalves Leite, Harry Edmundo Klein, Ernerto Neugebauer e Francesco Todesco, todos atletas unionistas, representaram o Brasil no Remo das Olimpíadas de Roma.

 

Roma finalmente teve a chance de sediar os Jogos Olímpicos, anos após a Itália ser obrigada a desistir de ser anfitriã por conta da Segunda Grande Guerra. Os jogos de 1960 marcaram uma união estreita entre esporte e cultura nesta cidade à beira do rio Tibre, dona de um passado histórico riquíssimo. Os italianos aproveitaram ao máximo a tradição na história antiga, organizando a competição de luta livre na Basílica de Maxentius e a ginástica nas Termas de Caracalla. A partir desta histórica edição para o GNU e para o mundo, nunca mais ficamos de fora de uma competição Olímpica.

 

Os jogos Olímpicos de Tóquio entrou para a história por conta do adiamento que foi necessário depois que estourou a epidemia de Covid-19 no final de 2019 e aqui no Brasil em março de 2020. Não só o evento precisou ser adiado, mas o mundo inteiro precisou mudar os hábitos de vida para se proteger do vírus. Por um breve momento os organizadores dos Jogos cogitaram cancelar o maior evento esportivo do mundo, mas felizmente não foi preciso. Ficou acordado que os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, em realidade aconteceriam em 2021 e sem público. E assim se concretizou.

O ano de 2021 era de esperança de dias melhores, e assistir pela televisão aos atletas selecionados para lutarem por uma medalha em Tóquio 2020 foi uma migalha de normalidade que todos nós estávamos precisando. Os atletas do GNU que estiveram neste espetáculo foram Guilherme Toldo, da Esgrima, e Viviane Jugblut, da natação. 

 

Ambos tiveram o prazer e a emoção de representar o Brasil e o GNU no maior evento esportivo do mundo.  Guilherme Toldo, logo após sua participação olímpica, ficou entre os 20 melhores esgrimistas da atualidade, na 19ª posição, se tornando o melhor floretista da América Latina.

 

A nadora Viviane Jungblut teve a primeira experiência Olimpíada da vida em Tóquio. A jovem atleta precisou se superar nas classificatórias para os Jogos Olímpicos para realizar o sonho de ir para o Japão. Ela bateu os próprios recordes e também os recordes nacionais, para garantir a vaga e se classificar para a competição na terra do sol nascente. Definitivamente a nadadora unionista tem grandes chances de também carimbar o passaporte para Paris 2024, assim como o esgrimista unionista Guilherme Toldo. 

Usamos cookies para fornecer recursos dos nossos sistemas e melhorar a experiência do usuário. Para saber mais, leia a política de privacidade.